quinta-feira, 6 de julho de 2017



Desenho que fiz de um look montado em DressUp Diary... Na verdade a data do desenho é 06.07.2017 .-. Aquela é a data em que o look foi montado.   


Que frio! (>.<)
Acho que... contanto que o interior não esteja tão frio quanto o exterior... Está ótimo ^^
 Gif encontrado no Cantinho da Luma e o jogo pode ser encontrado na Google Play

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Desenho aleatório...

Desenho de um possível visual...
Inicialmente, a temática do vestido era girassois (dá pra ver a intenção de vestido esvoaçante ali na saia, que depois mudei de ideia para saia lápis com detalhe etnico na barra XD)
A manga tinha ficado estranha, era para ser uma manga que se juntasse a gola em tecido diferente do vestido, acabou que virou um cachecol e um cardigan.
O cabelo quis preto para poder testar o contorno azul, que vi no desenho da Disney Pocahontas. Achei isso muito legal, normalmente quando contorno com lápis de cor preto fica esquisito... Como se tivesse sido colorido com carvão :~
Pensei numa bota longa marrom ou preta, mas fiz só uma meia longa.




quinta-feira, 8 de junho de 2017

Ações incoerentes
   com o que sente meu coração...
O modo automático, que outrora foi configurado,
   já pode ser desativado?


Espero poder ser forte,
Dessa vez  
apesar de ter sido fraca...
conscientemente.

Coração, seja persistente...!
Você consegue.


sábado, 27 de maio de 2017

Rascunho de 19/06/2015

Tulipas, rosas, cardos e espinheiros... o que foi que plantei?

   Me lembro de ter em meus planos, à princípio, um belo jardim.
 

De onde surgiram as ervas daninhas, os cardos, os espinhos e o mato?
  

 Me descuidei. O jardim não guardei... e agora está assim...

Rascunho de 18/08/2015

Escutando essa playlist de três músicas em replay...
Há duas aranhas no canto do teto. Acima de mim. Faz um bom tempo que não as observo. Para ser honesta, é meio difícil diferenciá-las.
Há quantas gerações essas aranhas perambulam pela minha casa? Percebi que não conheço seu tempo normal de vida. Elas caem do teto quando morrem? Ou se comem? Ou ficam estáticas ali e se decompoem rapidamente? Devem prender os pezinhos na teia para não caírem quando mortas.
A parede e o teto branco... O foco visual nas aranhas que estão paradinhas aguardando qualquer mosquitinho. Esse calor um pouco abafado no inverno... O gato mais doce do mundo dormindo em cima do meu casaco, ao meu lado.
ZzZzzzZ

Rascunho de 02/03/2016


Na nossa mente, as razões boas e as razões ruins, aquelas para quem a gente se pergunta "o que estou sentindo", "como estou hoje", "por que estou assim", "por que fiquei assim" ou simplesmente quando acordamos - lembro de ter lido um versículo que dizia algo do tipo: Deus nos cura enquanto dormimos - acordamos, sem nenhuma preocupação intensa, com a mente limpa, como geralmente ocorre quando se acorda. Aí, pelo menos comigo há um tempo atrás, foi assim: me lembrava do modo em que estava no dia anterior (triste/depressiva), e, antes de aceitar continuar naquilo, procurava lembrar as razões que me deixaram daquela forma, naquela depressão. E as razões faziam sentido. Era "justo" ter esse olhar pessimista sobre a vida, já que na minha mente, as razões para isso tinham (têm) um grande peso.

 É um pouco esquisito, sabe!? Quando se é a única pessoa no seu meio satisfeita, procurando estar de bem com a vida, fazer aquilo que é certo aos olhos de Deus, "ser feliz" enquanto as pessoas que você gosta estão "para baixo", estressadas, decepcionadas, amarguradas, reclamando; parece ser errado e egoísta ser assim nessa situação.

Não estou insinuando que seja possível ser feliz o dia inteiro, o tempo todo... Não. Está até em Eclesiastes algo assim "Mas se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos" Ec. 11:8

Acho que podemos "criar motivos" para ficar um pouco mais alegre no dia.
Percebi que essa sensação de estar no fundo do poço, consequente à atenção que demos mais as razões ruins e negativas de nossas mentes - que não é totalmente injusto, afinal fazem pleno sentido; não é algo bom para nós mesmas, de verdade, em curto ou longo período... é tipo... se você olhar muito para um abismo, ele acaba olhando de volta para você, e naquela troca-de-olhares a pessoa acaba envolvida nessa escuridão. E nós sabemos que a luz é boa. Que a luz faz bem para o coração e para a mente.